Arquivo da categoria: Vulgar

Arrepiada


Nua

Nua debaixo do edredom, me faço sua. Me estico e suplico pelo seu toque. Dobro os joelhos e espero sua vinda. Sou sua e de mais quem quiser. Estou entregue no calor do meu ninho, com os seios descobertos, esfregando a sua face. E você, que me beija com gosto de vinho e não se tarda para o encontro, aperta minha cintura e desce a mão pelos meus quadris. Me toca suave e depois forte. Me acaricia, me maltrata, me ama. No final para e me olha assim… Nua


Quando estou com você…

Quando espero por você, espero molhada; quando você chega, já estou encharcada. Quando sinto seu toque bruto nas dobras do meu corpo escorregadio me estremeço de prazer; quando sinto sua língua nas minhas cavidades te convido a entrar, e quando você ameaça ir mais fundo dentro da parte mais privada do meu corpo eu digo sim com o meu olhar. Espero que você me deixe ainda mais molhada com o seu líquido e, quando você parece já ter cansado de usar o meu corpo, eu te convenço a ir além e tentar outras partes dele…