Arquivo da categoria: Uncategorized

Gozo Infinito

Entre pelos e arrepios faço-me sua, embaixo do seu corpo quente e pesado; sinto sua aflição entrar faceira na minha carne molhada de suor e desejo, enquanto peço para diminuir o ritmo e ensaiar comigo um orgasmo mais rebuscado… sou levada à todas as emoções mais intensas possíveis, quando percebo sua agressividade invadir meu corpo, com doses genuínas de vontade e paixão. E em todo tempo em que estamos juntos, sou consumida por este momento, que me conduz ao espaço sagrado da sua fé em nós, adornado por um gozo infinito que adormece nossas extremidades e acalma nossas mentes impuras…


Seu Corpo

Seu corpo consome meus sentidos e me leva a um novo patamar de orgasmo. Seu corpo abriga e cuida; acaricia e machuca; facilita e dificulta. Seu corpo faz o meu entorpecer de prazer e entrega novas possibilidades onde antes só haviam dobras e precipícios… seu corpo faz o com que minha vontade aumente a cada movimento seu, a cada curva, a cada toque. Seu corpo dialoga com o meu desejo de uma forma tão, mas tão absurda, que não consigo parar de pensar na maciez branda das suas partes mais escondidas…


Meu Orgasmo

Meu orgasmo é silencioso e intenso; mergulho em mim para saciar minha vontade e experimento as várias faces da dormência que acomete meu corpo, em diferentes proporções e caminhos…

Encontro a maciez da minha carne em um imenso poço de distintas emoções e entrego meu cansaço ao deleite da minha paz mais absoluta.

Sou eu em milhões de salas com pessoas conhecidas e estranhas, em um sexo que parece não terminar nunca; sou eu, deitada na luxúria dos meus pecados mentais, que me delicio do prazer insano que abarca as várias faces dos meus gozos, todos despudorados e indecentemente deliciosos…


Despedi-me de Mim…

Despedi-me de mim em doses contidas de tesão e vontade; fui fraca mais uma vez ao deixar que meus vícios se sobrepujassem ao prazer pueril de vestir-me de santa, quando na verdade o que mais quero é sentar-me nesse altar nefasto, cheio de sujeira viril e feromônios incrustados nas dobras do seu corpo, que exala cheiro de sexo e transpira desejo…


O Que Eu Quero

Quando penso em você, encontro razão nas palavras dos que passaram pelo meu corpo e entendo que sempre quero muito mais do que recebo.

Não peço fidelidade nem muitas horas de dedicação. Não quero nada que te tire o ânimo, não quero seu cansaço. Quero, ao invés disso, ser esse alguém que te engole por inteiro sem deixar sobrar nada para depois.

Quero engolir cada gota de você, em doses putas de desejo e parcelas de degustação gratuitas. Quero você inteiro por apenas uma volta, mas uma dessas em que nos viramos do avesso antes de levantarmos da cama.

E quando penso na intensidade desse meu querer, vejo-o inteiro dentro de mim, em cada espaço que estiver disponível, em cada movimento possível e em cada gota pingada…


A Sua Bossa…

Com seu quadril largo encaro a realidade que é viver ao seu lado. Sou refém do seu gingado, dos passos bem dados, da irreverência do seu balanço.

Observo com desejo o balanço dos seios que caem sobre sua pele nua; admiro-os trepidando sobre seu corpo exposto, sem pudor por se mostrarem tão protuberantes com seus bicos em rija, prontos para virem direto para minha boca.

Desço para o movimento do seu sexo, que me convida a entrar de forma faceira pela parte mais molhada, para guardar um pouco do meu prazer mais genuíno dentro dessa sua bossa…


Acordei com Saudade…

Acordei assim… com saudades do seu cheiro e do seu toque. Sinto você nas extremidades dos meus desejos, enclausurados na promiscuidade da minha linguagem mais sacana e vil, e em toda a obscenidade possível que vislumbro no contorno do seu corpo quente e cheio de possibilidades…

Entrego minha melhor parte para seu deleite, para que faça comigo o que julgar melhor. Entendo que você não é responsável pelo meu prazer, mas que organiza meus orgasmos com maestria e louvor; você faz com que meus pecados pareçam pequenos diante da maravilha que é suar com seu corpo, melado de desejos e extasiado de gozo puro e simples.

Quero ter a mesma sensação vazia de quando terminamos a nossa composição, aquela em que entregamos mais do que queríamos, em doses genuínas de prazer e tesão, dentro do tempo em que nos é permitido viver intensamente esse orgasmo, na versão mais profunda possível…


Não Diga Nada…

Não diga nada, apenas escute meus gemidos, sussurrados em doses promíscuas de prazer e pecado.

Não diga nada, apenas sinta meus toques mais perversos debaixo do seu corpo quente e molhado.

Não diga nada, apenas entre dentro de mim, como você costumava fazer naquelas noites em que desistia da sua decência e escolhia o caminho das minhas coxas para chegar em casa…


Imersa

Imersa nos meus pensamentos mais profanos encontro você, encarando minha libido como se fosse normal minha vontade de invadir seu corpo e beber todo o líquido que sai dos seus poros e das suas cavidades…

Respiro um pouco mais do ar poluído que circunda meus pulmões e rogo aos Deuses que me deixem tocar mais uma vez na sua pele áspera e seca; imagino suas veias pulsarem com tesão e vontade, da mesma forma que penso estar o restante do seu corpo: duro, ereto e pronto para invadir meus espaços mais escondidos.

Peço perdão pela minha perversidade e encontro razão nas palavras da minhas amigas, que me avisavam do perigo que ronda minha vida, cada vez que me aproximo de você.

Mas não consigo parar de pensar em toda história que construímos na imensidão da minha cama fria, em todas as vezes em que você explorava os lugares que nunca haviam sido tocados, em posições e formatos que eu jamais havia pensado antes e de uma forma tão intensa, que doutrinou meu desejo e escravizou todos os meus sentidos…


Seu Rabo

Perco-me nos contornos indecentes do seu majestoso rabo e faço-me escravo dos seus caprichos só para poder acessar sua parte mais generosa, aquela que me faz respirar profundamente e que consola minha aflição cada vez que consigo entrar na maciez profunda que existe atrás de todas as curvas deliciosamente esculpidas para o meu desejo…